terça-feira, outubro 03, 2006

Jovens portugueses fazem estágios na China

Cátia Almeida
Em Xangai

Dezoito jovens portugueses estão a fazer estágios na China ao abrigo do programa Inov-Contacto do Icep, que pela primeira vez incluiu este país na sua lista de destinos. Num encontro com os estagiários, em Xangai, o secretário de Estado do Comércio, Serviços e Defesa do Consumidor deu a conhecer algumas mudanças introduzidas no programa, como a escolha do destino de colocação em cidades que o Governo considera mais dinâmicas.

Assim, em vez de serem os candidatos a solicitar determinado local, como antes, os destinos são previamente definidos e os jovens nunca sabem em que parte do mundo serão colocados. Outra das alterações, revelou Fernando Serrasqueiro, foi o alargamento do número de vagas para 500 em dois anos. Este ano foram colocados 305 jovens. A terceira alteração ao Inov-Contacto é que passa a abranger participantes não licenciados, deixando o programa de ser para uma elite.

"O objectivo é conhecer o que de melhor se faz nos vários sectores", frisou o governante, acrescentando que o Governo está a dar apoio às empresas e, simultaneamente, a tratar dos jovens. Os estagiários "podem depois ser úteis nas empresas portuguesas, incorporando o know--how que adquiriram".

Mas a maioria não quer voltar...

O DN falou com alguns deles.

Pedro Lopes

Analista de marketing - Alcatel

Aos 26 anos, Pedro Lopes trabalha com o presidente da futura maior empresa do mundo de telecomunicações, a Alcatel (em processo de fusão com a americana Lucent). Em Xangai desde Fevereiro, deixou para trás um emprego bom e seguro, como consultor da Arthur Do Little. Na Alcatel faz análises de mercado (da economia da Ásia-Pacífico e das telecomunicações) e comunicação interna. "Sinto uma grande evolução, dei um passo em frente. Voltar seria andar para atrás. Estou a aprender muito sobre a Ásia-Pacífico e pretendo aplicar os meus conhecimentos aqui", afirma.

Por esta razão, Pedro Lopes está "activamente" à procura de trabalho em Xangai, já que, "com a fusão, haverá cortes de pessoal", refere. A nível pessoal, "a experiência é fantástica. Há a barreira da língua, mas já sabia algum mandarim. Sei o básico".

Guida Pinto

Arquitecta - Dedo Design

"Ao contrário de Portugal, em Xangai há muitas oportunidades. Tenho 25 anos e sou gestora de projecto, o que seria impossível em Portugal". Guida Pinto quer ficar por Xangai, mas não aceitará qualquer emprego. As ofertas são muitas, por isso quer "escolher bem". Está na Dedo Design, um gabinete de arquitectura italiano. "O projecto é feito em Itália e eu dou apoio à obra, que é a mansão de um multimilionário chinês, dono das lojas Metersbonwe (uma espécie de Zara).

Pode ficar na empresa, mas quer "ir mais longe". "Sei que o Inov não é feito para arquitectos, mas gostaria que o Icep continuasse a admiti-los. Os arquitectos influenciam na escolha de materiais e podemos divulgar os produtos portugueses". A nível pessoal, "tudo bem. Há um grupo de portugueses muito unido. Fazer amigos chineses é mais difícil, mas dou-me bem com os colegas".

Ana Teixeira

Câmara de Comércio da UE

Ana Teixeira integra um grupo que faz lobbying junto do Governo chinês para defender os interesses das empresas europeias na China. Com mais de mil associados, tem apenas um membro português, o Banco Nacional Ultramarino. "Qualquer empresa pode inscrever-se. O lobbying dá resultado", diz.

Ana Teixeira, 24 anos, estava sem trabalho em Portugal, por isso aceitou o desafio do Icep. No final do estágio, que está prestes a terminar, vai procurar emprego em Xangai e em Portugal. "Aceito a melhor oferta". Na câmara não pode ficar. "É uma equipa pequena, mas recebe muitos estagiários, não é preciso mais gente". Ana acha que os conhecimentos que adquiriu podem ser úteis às empresas portuguesas que queiram ir para a China. A adaptação foi boa. "Não é difícil estar longe de casa".

Martim Louro

Dep. de Marketing - Fermax

Martim Louro está a estagiar na empresa espanhola Fermax, que produz intercomunicadores para edifícios e campainhas. Presente na China há 11 anos e uma das primeiras fábricas de capital estrangeiro no país, a Fermax é líder de mercado naquele país, a segunda na Europa e quarta a nível mundial. "Tive muita sorte. Fui bem recebido e bem preparado, tive formação em Espanha antes de vir. Apesar de nunca ter pensado em vir para a China, Martim Louro gostava de ficar. "Em Portugal, o mercado está mau e é complicado encontrar um projecto interessante". Com 28 anos, Martim tem boas perspectivas de ficar na Fermax. Em Portugal, procurava emprego, depois de fazer um MBA. Antes, trabalhou na J. Walter Thompson, na Accenture e na Siva.

In Dn online

8 Comments:

Blogger Paulo Abreu said...

Em grande! O meu abraço para todos eles!
Infelizmente, os Cisco Kids têm o problema do visto/Fulbright, senão alguns ficariam por cá. Qualidade não lhes falta...
A melhor sorte do mundo para todos!
Pedro, eu disse-te logo que a China era uma grande oportunidade...

Paulo

PS: Arão, grande post! Finalmente...

08:18  
Blogger Arão said...

...Eu sei que já estava na hora de escrever alguma coisa decente, por isso recorri à tecnica do Copy Paste! ... o que seria de mim sem o Copy Paste!

09:52  
Blogger Virginia said...

"em vez de serem os candidatos a solicitar determinado local, como antes, os destinos são previamente definidos e os jovens nunca sabem em que parte do mundo serão colocados" Vocês leram o mmo q eu? Eu escolhi vir pa Madrid e nao sei?
"A terceira alteração ao Inov-Contacto é que passa a abranger participantes não licenciados, deixando o programa de ser para uma elite." Elite? Ser licenciado é pertencer a uma elite?
Todo o artigo é incrível! Valeu pelas boas risadas que dei hj de manha!
Saudaçoes pó pessoal da China!
Hasta!

12:48  
Blogger Rita S.P. said...

Sim, eu também fiquei espantada com isso...e também com o facto de dizerem que é a 1ª vez que mandaram pessoas para a China, o que não é verdade. Mas é bom saber que os C's da China estão bem e com boas perspectivas! :) Bjs

13:46  
Blogger Nelson said...

Realmente este artigo peca por informacoes incorrectas sobre o programa INOV Contacto. Mas saber que os nossos colegas se estao a dar bem na fortissima China, faz-me sentir orgulho em pertencer a este grupo (embora nao sinta que seja um grupo de elite, apenas um grupo de qualidade!).

Abracos,
Nelson

16:38  
Blogger João…zinho!! said...

Bom post, Arao.
Faco minhas as palavras da Virginia e da Rita. E' bom saber que estao bem e com boas perspectivas, mas e' pena que as informacoes contidas no artigo nao sejam muito correctas...
Cumprimentos,

17:27  
Blogger martacorreia said...

elite ahahahaha

17:55  
Blogger BP7 said...

Parecem-me erros a mais para um artigo so mas de qualquer forma e de louvar a mencao honrosa destes nossos colegas... Boo sorte para voces e que fikem todos na China (os k kiserem claro), ja que, nos aqui nao podemos ficar devido a uma tal de clausula 212(e)...

22:31  

Enviar um comentário

<< Home